Nossa Palavra

Nossa Palavra

70views

Gratidão

Já estamos no segundo semestre de 2023. A agenda anda super agitada por aqui e não poderíamos estar mais felizes com tantas novidades e com tantos eventos importantes que realizamos.

Preenchemos nossos dias com histórias de valor, pessoas fora da curva, aprendizados e conexões com pessoas de alta performance profissional.

Eu particularmente creio que o sucesso depende não apenas de uma gorda conta bancária, ou no acúmulo de riquezas e bens tangíveis. A verdadeira prosperidade é revelada quando percebemos o equilíbrio entre produzir, rentabilizar, gerar emprego, gerar oportunidades, e conseguir administrar o tempo entre o pessoal, profissional e o espiritual.

Quantos casos de sucesso podemos enumerar onde somente a riqueza não foi suficiente.  A eterna busca por ser o topo, por ser notícia, ou simplesmente comandada pelo ego competitivo em ser o maior ou melhor, pode levar ao abismo.  O que de fato influencia as pessoas? Quantos de nossos ídolos morreram por overdose ou outros tipos de suicídio? Quantas pessoas bilionárias fazem imbecilidades ou tem comportamentos nojentos e anti-éticos?  Quantas pessoas atingem seu primeiro milhão e já se acham a oitava maravilha na terra. Conduta ética, caráter são os grandes diferenciais daqueles que conseguem manter a constância de crescimento, manutenção no mercado e ultrapassar a marca dos sete anos de sobrevida na pessoa jurídica.  

Então, quais são nossas referências e nossos parâmetros para definir sucesso? O que de fato preenche nossa alma e dá significado a nossa existência?

Eu só posso agradecer todos os dias, ajoelhada. Pois todos os meses, conhecemos, aprendemos e despertamos mais um pouco, que não existe topo a ser alcançado, e sim uma caminhada de construção e reinvenção. E certamente depois de alguns degraus, entendemos que quem nos acompanha, quem está ao nosso lado, é o que realmente importa. E não depende o tempo de caminhada, alguns caminham um pouco e nos deixam muito, outros caminham uma eternidade e nos deixam pouco. 

Cada etapa tem um tempo de aprendizado, maturação e conclusão, para se transformar em outra coisa ou para terminar. Tipo uma lagarta, que é considerada uma praga na fase lagarta, depois vira um casulo, até se transformar em borboleta. Imagina se ela desiste de seu casulo? Todos temos um tempo necessário para transformação. 

Quantas vezes temos vontade de desistir? No entanto vamos nos transformando. Quando olho para meu passado, fico imaginando o que aquela menina de 16 anos sonhava, e o que hoje me transformei. 

Espero que vocês apreciem esta edição recheada de conteúdo, cobertura do nosso super evento com a empresária Ana Hickmann, entrevista com o Zé Barbosa e sua trajetória de 20 anos na arquitetura, artigos importantes sobre saúde, qualidade de vida e cobertura dos eventos que marcam o empreendedorismo. 

Gratidão queridos, nos acompanhem nas redes sociais. Se inscrevam no nosso canal do Youtube, toda semana uma entrevista marcante.

Deixar uma resposta