EducaçãoSem categoria

Intercâmbio: uma experiência cultural para a vida toda

175views

Uma experiência inesquecível. Assim Adelaide Lanius, diretora da escola de idiomas Cultura Inglesa, define os intercâmbios em que acompanha em parceria com a Egali Intercâmbio. O último grupo, permaneceu 21 dias em Vancouver, no Canadá, no início do ano. Formado por 13 alunos, na faixa etária de 13 a 16 anos, o Vancouver Experience teve muita interação e aprendizado.

O intercâmbio é uma possibilidade de experienciar a cultura de outro país e validar o saber da língua inglesa, vivenciando a cultura do lugar, com desafios diários, como a experiência de praticar ou aprimorar o segundo idioma enquanto se conhece um novo país. O intercâmbio é uma combinação de estudo e lazer. Os alunos tiveram aulas no International House, escola local presente em mais de 50 países, que organiza as turmas pelo nível de conhecimento do inglês e idade. “Permanecemos em sala de aula durante a manhã e tivemos colegas de diversos lugares do mundo, possibilitando a vivência com outras nacionalidades”, destaca Adelaide.

Para Maria Eduarda Lobato, 16 anos, viajar para o Canadá sempre foi um sonho. “Quando eu cheguei e tive aulas eu achei incrível, desde pequena eu faço curso de inglês no Brasil, e em 21 dias que eu fiquei no Canadá aprendi muitas coisas. Agradeço por todas as amizades que eu fiz, aprendi muitas culturas, principalmente coreana, consegui ver com meus próprios olhos a diferença de realidade de diversas pessoas. O intercâmbio foi essencial para o meu amadurecimento, porque é você por você! Me virei para aprender a andar de transporte público, aprendi a me acostumar com uma nova família, aprendi a gostar das comidas e culturas diferentes”, recorda. A estudante Maria Luiza Kolling, define o intercâmbio como uma aventura memorável. “Fiquei hospedada em uma casa de filipinos e estudei com sul coreanos. Entre os vários passeios que fiz, o que eu mais gostei foi a Cypress Mountain, a 30 minutos do centro de Vancouver. Outro lugar que vale a pena visitar é o Science World. É um museu interativo, que possui várias salas com diferentes temas da ciência, e muito divertido”. 

Além das aulas, os estudantes participaram de atividades extras como passeios e viagens culturais. Outro diferencial da viagem foi a oportunidade de conviver com uma família local. Em cada casa, ficam até 3 alunos juntos. O grupo foi recepcionado por famílias de imigrantes, chinesas, coreanas, filipinas e japonesas. Cada família tem costumes diferentes e, além do aprendizado da língua, os alunos tem uma oportunidade de se tornarem mais independentes. Todas as atividades desenvolvidas dependem do envolvimento do aluno. Para deslocarem-se, por exemplo, as famílias orientam sobre as formas de locomoção e transporte. Em Vancouver, os alunos utilizaram ônibus e metrô para chegarem à escola.

Um fato interessante é que a cidade canadense recebe e abriga muitos imigrantes de vários locais do mundo. Muitos deles vivem nas ruas, mesmo que tenham à disposição uma estrutura pública para o abrigamento. Um dos traços culturais que chama muita atenção é a forma que os canadenses tratam turistas e estrangeiros. Todos são muito bem tratados e eles tem muita delicadeza nas relações com o outro.

Isabela Rossarola Faccin, relata que a viagem foi maravilhosa, um período de muitos aprendizados, aperfeiçoamentos e amizades. “Não posso deixar de mencionar minha experiência com o multiculturalismo. Acho que quando falamos do Canadá não só falamos da cultura canadense, mas de várias culturas dentro de um país. Tive o prazer de conhecer as culturas libanesa, iraniana, canadense e coreana nas ruas, na escola e na minha home stay”.

 

Deixar uma resposta