Mundo Afora

Explorando o passado e o presente: a aventura da família Bulcão pela China

101views

A China é um país vasto e diversificado, com uma rica história, uma economia em rápido crescimento e uma cultura única. O casal Valquiria e Lauro Bulcão, ambos médicos cardiologistas, com os filhos Laura e Pedro, realizaram uma viagem para o país e contam sobre como foi esse período.

Escolha do roteiro e planejamento da viagem

Conhecer a China estava muito longe de ser uma prioridade, mas meu filho vinha insistindo neste roteiro. As férias de verão são um momento único de estarmos juntos para conhecer algum lugar. O planejamento desta viagem é longo, exige documentação, visto, e reservas antecipadas. A distância é enorme, por isso reservamos 18 dias para viajar. Depois de estarmos em São Paulo, são mais 23 horas de voo (até Dubai 14 horas e 9 horas até Hong Kong).

Hong Kong

Chegamos em Hong Kong com fuso de 11 horas, mas logo nos adaptamos. A ilha é muito interessante, uma cidade moderna, edifícios impressionantes, limpa, e boa infraestrutura de transporte público. Esta ilha pertenceu à Inglaterra até 1999, e embora faça parte do território chinês, persiste a mão inglesa, com pubs e imensos shopping centers e lojas de luxo espalhadas por toda a cidade.

Durante a estada em Hong Kong, visitamos a ilha de Lantau com o Buda Gigante. A Ilha de Macau, ex-colônia portuguesa, também foi incorporada ao território chinês desde 1976, onde a língua portuguesa, junto com o mandarim, ainda é considerada oficial, mesmo que praticamente ninguém fale. Macau é conhecida como a cidade dos cassinos (Las Vegas chinesa). Passear nas ruas com seus imensos hotéis cassinos e uma diversidade de lojas luxuosas, é realmente encantador.

Shanghai

Mais alguns dias e voamos para Shanghai (uma distância muito grande para viajar de trem, mesmo com os de alta velocidade, e queríamos economizar tempo). Shanghai foi a maior surpresa da viagem. Você jura que não pertence a um país comunista, pois ela lembra muito Nova York no seu apogeu. Esta cidade de 26 milhões de habitantes possui construções impressionantes, hotéis com shoppings, lojas de rua imensas, grifes, lojas de carros distribuídas por todo lugar que você passe e muita segurança. Conhecemos muito da história, costumes e desenvolvimento da cidade contadas por um guia local. Shanghai, a capital política, cosmopolita, pujante, ricamente iluminada e certamente a cidade do futuro.

A China tem o único regime do mundo que mistura comunismo, com regras extremamente rígidas para o cidadão, incluindo muitas restrições e capital aberto, onde traz o desenvolvimento e consumo do capitalismo. A fórmula tem dado certo por lá, a cidade é um canteiro de obras, o consumo é muito grande, povo mais organizado e receptivo. Aproveitamos um dia de estada na cidade para visitar Hangzhou, que fica há uma hora de trem. Nesta famosa cidade conhecida por seus jardins e templos, desfrutamos de comida típica, passeios e visitas.

Xian

Depois seguimos para Xian (a cidade do passado), capital de tantas dinastias, ex-capital da China. Esta “pequena” cidade da China, com 12 milhões de habitantes, é a que mais mantém as características do passado histórico desta imensa nação. Conhecer o local da descoberta dos guerreiros de terracota (Guerreiros do primeiro Imperador Qin), foi para mim o mais surpreendente e revelador da viagem.

Este sítio arqueológico com 8000 soldados que data de 210 a.c., é uma forma funerária enterrada com o imperador e descoberta em 1974 por agricultores da província de Shaanxi. Conhecemos o senhor Yang Zhifa, um dos agricultores que descobriu e relatou ao governo chines sobre os guerreiros de terracota encontrados em sua propriedade.

Pequim

Deixamos Xian de trem em direção a Pequim, nossa última cidade a ser visitada. Pequim ou Beijing é a capital política da China, uma cidade com 22 milhões de habitantes, a mais gelada de todo passeio. Chegamos com temperatura de 8 graus negativos e sensação térmica de muito menos, mas este é uma das coisas que adoramos, frio. A maior atração turística de Pequim é visitar a Muralha da China, uma das 7 maravilhas do mundo moderno. Impressionante. Descreveríamos como fantástica, uma obra realizada com mãos humanas, que custou milhares de vidas e ainda hoje permanece intacta.

Gastronomia chinesa

Já tínhamos conhecimento da comida, mas achamos muito gordurosa, agridoce e na maioria das vezes muito apimentada. Eles consomem basicamente carne suína, frango, pato e muitos outros animais exóticos como sapo e pescados diferentes, com pouca carne bovina.

Idioma e segurança do país

A dificuldade do idioma ainda é uma grande barreira para atrair mais turistas. Poucas pessoas, mesmo em Pequim, falam inglês, mas os cardápios na sua maioria tem tradução para inglês ou fotos dos pratos. A segurança do país inteiro passa por controle rígido com milhares de câmeras espalhadas por todos os cantos do país, reconhecimento facial, controle de documentos, inclusive, para os moradores e detector de metais em cada estação de metrô, mesmo na rua em Pequim, onde a segurança é maior.

Período escolhido para a viagem e custos

A época escolhida, inverno no hemisfério norte, é devido às férias dos filhos e então podemos viajar todos juntos, o que é muito importante para nós. Os custos são elevados devidos ao preço das passagens aéreas, estadias longas e alimentação, embora não sejam diferentes dos preços praticados no Brasil.

Ao contrário do que se possa imaginar, na China não tem lojas SHEIN em todos os lugares, não passou de uma mera “fake news”, pelo menos onde os turistas frequentam. Mas tem muitas lojas de luxo, com as maiores grifes, lojas e shoppings que já vimos de todos os lugares do mundo que já conhecemos. Realmente foi surpreendente o que eles têm de consumo de investimento nesse mercado.

A querida família afirma que já conheceram muitos países, mas que muitos ainda estão na lista. A cada ano, esperam pelo próximo destino.

Deixar uma resposta