EmpreendedorismoEntrevistasSaúde e Bem-estar

Empreendendo em harmonia: a jornada de Juliana Silveira, doutora em envelhecimento humano, que criou um refúgio de saúde

105views

A infância de Juliana Silveira foi muito bem vivida. Com muitas brincadeiras, tanto na cidade como na fazenda, participava de aulas de balé, natação, danças no CTG e aulas de teatro. Fisioterapeuta há 12 anos, a empresária também é doutora em envelhecimento humano há 5 anos e instrutora de yoga há 3 anos.

Casada com Walmir Marques de Menezes e com um filho de 6 anos, Juliana conta na entrevista sobre a sua trajetória de trabalho, como nasceu a Clínica Nye e a importância do yoga na sua busca por autoconhecimento.

Fale sobre a sua trajetória de trabalho.

Quando me formei em 2012, não sabia muito bem qual área seguir dentro da fisioterapia, então trabalhei para empresas, na área de saúde do trabalhador e saúde do idoso. Foi a primeira oportunidade, e quando me tornei mãe, não consegui mais conciliar o trabalho em outras cidades e ser mãe conjuntamente. Então busquei algum trabalho na minha área em Santa Maria, e trabalhei com pilates e treinamento funcional (que foi uma paixão minha por 4 anos), adorava treinar mulheres e homens em um studio. Com o tempo, esse studio fechou e ali comecei a buscar as minhas especializações.

Veio a gerontologia e o atendimento ao idoso domiciliar, e comecei a perceber o quanto era importante alguma clínica que realmente acolhesse o ser humano, que entendesse. Surgiu a ideia de construir algo com vários profissionais, não só qualificados, mas humanos.

Com a experiência de trabalhar em empresas, prefeitura, hospital, studio e domiciliar veio a vontade de buscar e oferecer mais cuidados aos pacientes. Aí veio minha especialização em envelhecimento humano saudável. Trabalhar com a dor das pessoas é muito difícil, para quem é sensível como eu, então comecei a buscar a meditação para estar sempre bem, poder levar boas energias. Eu convivia com pessoas idosas que sofriam muito e que queriam apenas que chegasse aquele dia da fisioterapia para ter com quem conversar.

Como surgiu a busca pelo yoga? É uma grande paixão na sua vida?

A busca do yoga foi uma busca do meu autoconhecimento, a busca de controlar meus sentimentos, de auxiliar as pessoas a entenderem um pouco mais o porquê das coisas. O yoga foi uma mudança na vida da Juliana mãe e mulher. Me conhecer melhor, aprender a dizer não, a me cuidar, a ter os meus momentos. Isso o yoga me trouxe e assim fez eu saber mais sobre quais atitudes e poder entender melhor o ser humano.

Como foi abrir a Nye Clinic? Era um sonho de vida ou a ideia foi surgindo ao longo dos anos de trabalho?

A Nye, que significa recomeço, iniciou com um pensamento de ter vários profissionais humanos e ter serviços da área da saúde, assim eu poderia ver o que o meu público exigiria de mim.

Tínhamos somente um spa, o spa oncológico, pois sempre vi o câncer como algo que tem que cuidar muito mais além do tratamento. Então criei junto com a nossa psicóloga o spa oncológico. Mas o nosso público começou a exigir outros tipos de spa, e assim fomos criando. Hoje temos 12 spas personalizados e criados exclusivos da Nye. Um deles é o mais novo spa tailandês, que só nós e em Gramado que tem, com certificado.

Quantos colaboradores estão na clínica com você hoje?

Hoje a clínica conta com 5 colaboradoras, pois dentro das minhas exigências foram as mais qualificadas. Como na minha família tenho médicos, sempre busquei conselhos em relação às novidades. Além dos spas (que conta com toda a área de autocuidado da mulher em todas as fases) temos também as tecnologias.

Qual foi a última inovação adicionada a clínica?

A nossa última conquista foi o laser Fotona. Além das outras que temos como Lavieen e ULTRAFOMER. O nosso cuidado com as gestantes também foi uma inovação, com a nossa mais nova parceira. Cuidar de mulheres em momentos tanto felizes quanto em momentos difíceis tem sido a minha paixão. Poder criar experiências para uma mulher em um momento como o câncer, isso não tem preço para mim. Poder ver uma mulher sorrir novamente tem sido uma paixão.

Qual ou quais as fases mais valiosas da sua vida como mulher, esposa e empreendedora?

Uma das fases mais valiosas foi ser mãe, ela me transformou. Empreendedora me ensinou demais. Nossa, como o empreendedorismo me ensinou, me modificou. Como esposa, o casamento me ensinou a paciência e carinho de um cuidar do outro e formar a família que temos hoje.

Deixar uma resposta