EmpreendedorismoEntrevistasSocial

Advogado Daniel Tonetto lança livro de suspense policial chamado “Dois Caminhos”

47views

No dia 4 de junho, terça-feira, o advogado Daniel Tonetto lançou o seu sétimo livro, intitulado “Dois Caminhos”. Realizado na sede da Apusm, o lançamento foi solidário devido às vítimas das chuvas. Para cada livro vendido será doado 2 kg de alimento.

A Revista Interativa conversou com Daniel que, além de advogado e escritor, também é professor de Direito Penal e Processo Penal, Mestre em Direito pelo UAL, e Mestre em Inclusão e Reabilitação pela IPA. Confira a entrevista completa.

Sobre o que é o livro?

Esse livro é um suspense policial, não se trata de um livro técnico. Ele conta a história de dois meninos que se conhecem na infância, ambos eram vizinhos e colegas de escola, além de pertencerem a famílias humildes. Ocorre que, eles escolhem caminhos diferentes, daí vem o nome do livro “Dois Caminhos”; um opta pelo estudo e pelo trabalho; o outro, pelo submundo do crime, pelas drogas, etc. Entretanto, durante o percurso de suas vidas seus destinos se entrelaçam, sem querer adiantar muito sobre o livro, eu pretendo nessa obra justamente demonstrar a diferença da vida entre quem escolhe o caminho do crime ao invés da superação por uma profissão digna. Também tento falar um pouco dos valores que considero primordiais em nossa sociedade, tais como a amizade, honra e lealdade. No livro também terá passagens sobre audiências e julgamento do Tribunal do Júri, logicamente escrevi essa parte em uma linguagem simples para que as pessoas que não tenham formação jurídica possam entender.

O que te inspirou?

Muitas coisas contribuíram, todavia, posso afirmar que se não fosse pela minha profissão de advogado criminalista não teria escrito essa obra. Em mais de duas décadas trabalhando nessa área, presenciei incontáveis situações semelhantes a história do livro. Sempre fui muito observador, e nesses anos todos, fui testemunha de como as escolhas por um tipo de vida determinam o destino de cada pessoa. Também as leituras que faço e as viagens dão um toque especial na inspiração e criatividade.

Quantos anos de carreira?

Comecei a estudar direito na Universidade Federal de Santa Maria em 1998, e quando ainda jovem iniciei a trabalhar em um escritório de advocacia que atuava na área criminal. Desde então, trabalho nesse ramo do direito. Sou também professor da faculdade de direito há mais de 18 anos, fiz uma especialização, dois mestrados e estou prestes a concluir o doutorado. Como escritor esse é o meu sétimo livro, além de ter participação em mais quatro obras.

Como concilia advocacia e a vida de escritor?

Sabe que isso é uma coisa que as pessoas frequentemente me perguntam. Costumo dizer que uma contribui com a outra, e como disse anteriormente, caso eu não tivesse a experiência de advogado não conseguiria escrever esses livros. Sempre fui um ávido leitor e comecei a escrever como lazer. Mas respondendo à pergunta, talvez a principal característica da minha vida seja a disciplina. Todos os dias da semana eu acordo cedo, e das 6h30min até as 8h eu sento na biblioteca da minha casa para ler e escrever, já no sábado e domingo faço isso também, porém em horários diferentes. O resto do tempo em que trabalho, me dedico quase que exclusivamente à advocacia.

Fale de tuas viagens e inspirações.

Quando menino li uma entrevista de um famoso jurista, nela ele aconselhou que advogados precisam falar línguas, ler muito e conhecer culturas diferentes. Confesso que aquela pequena entrevista mudou a minha vida para sempre. As inspirações vêm de diversos lugares, como situações corriqueiras que vejo na rotina de trabalho, mas também de outros livros que li. No entanto, as viagens são imprescindíveis para aprimorar a criatividade de um escritor, tive a felicidade de conhecer mais de 50 países, e isso, sem dúvida contribuiu muito para a minha carreira de escritor. Esse novo livro, por exemplo, eu decidi o destino dos dois personagens principais quando estava em uma viagem na Áustria.

Qual cadeira assumiu na academia de letras?

Integro com alegria e orgulho duas academias de letras, afirmo isso, pois elas são das duas cidades que foram as mais importantes na minha vida. Em Santa Maria, ocupo a cadeira n° 33 da Academia Santa-mariense de Letras. Em minha cidade natal, ocupo a cadeira nº 25 da Academia de Letras e Artes de São Sepé.

Deixar uma resposta