Nossa Palavra

Nossa Palavra – dezembro 2022

10views

Este ano de 2022 chegamos na marca de 8 bilhões de habitantes no planeta Terra. O Brasil lidera a sétima posição dos países mais populosos. Somos 215 milhões de brasileiros.

Muita gente mesmo. Como que as pessoas se desenvolvem em uma nação? O que representa incentivo ao desenvolvimento, conhecimento e acima de tudo ordem e progresso para crescer?

Como sempre digo, nosso país é rico. Extenso. Cheio de áreas férteis. O celeiro de grãos do mundo. O pulmão do mundo. Uma das maiores reservas naturais do planeta. Um vasto litoral com praias belíssimas e paradisíacas. Um dos maiores produtores e exportadores de carne do mundo.  Exportador de frutas, café, grãos. Exportador de inúmeras matérias primas para o mundo inteiro. Aqui tudo que planta nasce.

A China uma das maiores potências e um dos maiores perigos para o planeta sabe mais do que muitos brasileiros de nossos números e do impacto de consumo. O mundo inteiro está de olho e possui interesses comerciais com esta pátria amada Brasil.

Somos o terceiro maior consumidor de cerveja do mundo. Mais de 80% da população consome internet, e é uma das nações mais digitalizadas do mundo. É o país que mais faz cirurgias plásticas no mundo. É o país que mais investe em farmácias e academias. E poderia arrolar uma grande gama de serviços e produtos comprados em larga escala.

Sempre quando viajo observo muito os hábitos e a forma de viver de cada povo. Países ricos que vivem na pobreza. E países desprovidos de recursos naturais que transformaram deserto em riqueza. Tudo dependendo da atitude de seus governantes e de como a criminalidade e os valores éticos influenciam no destino de uma nação.

Quando estive na Venezuela, uma das coisas mais marcantes foi saber que os veículos de comunicação só podiam veicular o que o presidente Maduro permitia. As informações eram filtradas e censuradas. Peguei um mega protesto em 2014, com ônibus incendiados e tudo mais, impossibilitando inclusive de transitarmos na cidade, pois a população não aguentava mais impostos, restrições e taxações aos empresários e pessoas que gostariam de empreender.  Nenhuma virgula divulgada na imprensa. Nenhuma repercussão, tudo totalmente abafado.

Hoje vemos nossos irmãos venezuelanos pedindo comida em todas sinaleiras, fugindo para todos os países que permitem a liberdade econômica. Quem não seguir a cartilha imposta por Maduro, é perseguido, preso ou exilado. Conheci também vários empresários e engenheiros da Petrobrás que fugiram para Miami, e outras cidades americanas.

Um povo que aceita a mentira. Que aceita a calúnia e depois se alia, perdeu seus valores morais, sua dignidade e seu futuro. Quando a impunidade impera e juízes togados representantes de um Supremo fazem manobras políticas e de militância, uma nação está perdida. Corrompida.

Não temos como entrar no grupo de países desenvolvidos pela simples premissa, de que não somos confiáveis. Já sofri preconceito por ser brasileira, em diversos países da Europa, quando viajava sozinha. Pois no entendimento deles aqui as pessoas não são honestas. Não são confiáveis. Aqui vale a lei da malandragem.

Me ofendia muito.  Na Áustria e Suíça, tem condomínios que não permitem brasileiros morarem. Pois sabem que brasileiro não respeita as regras.

Já no Egito, na Jamaica, Honduras, Colômbia e outros países a corrupção é institucionalizada. Guardas são corruptos. Juízes são corruptos. São milhares de leis que não são cumpridas. E as pessoas são roubadas pelos governos e vivem na pobreza, ainda que com muitas riquezas.

Conhecendo mais o mundo e a forma de como países sérios encaram a corrupção, a fraude, a mentira, e a falta de palavra, tenho que concordar.

Aqui nossa lei não vale para todos. Nossos juízes de um supremo são políticos de toga que legislam, condenam ou descondenam conforme o interesse pessoal da corte. A Nossa imprensa é manipuladora. Só não é pior que a da China, Coreia, Venezuela, Nicarágua e Cuba, pois lá não há liberdade de expressão. Aqui vale o sensacionalismo, a venda de tragédia, a fofoca, a meia verdade ou o cinismo.   Quando conversei com um monge Tibetano que mora na Tailândia, ele disse algo muito forte. O Brasil vibra mais no negativo do que o positivo. Parem de consumir violência e país vai mudando a energia.

Que Deus cuide de nosso amado Brasil. Gigante pela própria natureza. Mas que não fique deitado eternamente em berço esplêndido.

Silvana Maldaner  – Mãe de duas filhas, casada, empresária, empreendedora, entusiasta, viajante e curiosa. Formada em Comunicação social, especialista em comunicação e mestre em engenharia de produção.

 

 

Deixar uma resposta