Saúde e Bem-estar

Rinite Alérgica e sintomas respiratórios persistentes

82views

A palavra “rinite” refere-se à inflamação da mucosa nasal, podendo causar uma variedade de sintomas irritantes, incluindo espirros, coceira, congestão nasal, coriza e gotejamento pós-nasal (a sensação de que o muco está drenando dos seios da face para a parte posterior da garganta). Episódios breves de rinite são geralmente causados por infecções do trato respiratório causadas por vírus, como o resfriado comum.

A rinite alérgica é causada por alergias a substâncias no ar ao seu redor. A rinite crônica (de longo prazo) geralmente é causada por alergias, mas também pode resultar do uso excessivo de certos medicamentos (como descongestionantes e vasoconstritores de uso tópico nasal), algumas condições médicas e outros fatores desconhecidos.

Para muitas pessoas, a rinite alérgica é uma condição vitalícia que aumenta e diminui com o tempo. Felizmente, os sintomas geralmente podem ser controlados com uma combinação de medidas ambientais e medicamentos.

Quem tem rinite alérgica?

A rinite alérgica afeta aproximadamente 20% das pessoas de todas as idades. O risco de desenvolver rinite alérgica é muito maior em pessoas com asma ou eczema e em pessoas com histórico familiar de asma ou rinite alérgica. A rinite alérgica pode começar em qualquer idade, embora a maioria das pessoas desenvolva os sintomas pela primeira vez na infância ou na idade adulta jovem. Os sintomas costumam ser mais graves em crianças e em pessoas na faixa dos 30 e 40 anos. No entanto, a gravidade dos sintomas tende a variar ao longo da vida. Algumas pessoas passam por períodos durante os quais não apresentam nenhum sintoma.

Causas de rinite alérgica

A rinite alérgica é causada por uma reação nasal a pequenas partículas transportadas pelo ar chamadas alérgenos (substâncias que provocam uma reação alérgica). Em algumas pessoas, essas partículas também causam reações nos pulmões (asma) e nos olhos (conjuntivite alérgica). Rinite alérgica sazonal versus perene – a rinite alérgica pode ser sazonal (ocorrendo durante estações específicas) ou perene (ocorrendo durante todo o ano).

  • Os alérgenos que mais comumente causam rinite alérgica sazonal incluem pólen de árvores, gramíneas e ervas daninhas
  • Os alérgenos que mais comumente causam rinite alérgica perene são ácaros, baratas, pelos de animais e fungos ou bolores. A rinite alérgica perene tende a ser mais difícil de tratar.

Sinais e sintomas comuns

Os sintomas da rinite alérgica variam de pessoa para pessoa. Embora o termo “rinite” se refira apenas aos sintomas nasais, muitas pessoas também apresentam sintomas que afetam os olhos, a garganta e os ouvidos. O sono também pode ser interrompido. Os sintomas podem incluir o seguinte:

  • Nariz: secreção nasal aquosa, vias nasais bloqueadas, espirros, coceira nasal, gotejamento pós-nasal, perda do paladar, pressão facial ou dor
  • Olhos: olhos vermelhos com coceira, sensação de arenosidade nos olhos, inchaço e descoloração escura da pele abaixo dos olhos.
  • Sono: respiração pela boca, ronco, despertar frequente, fadiga diurna, dificuldade para realizar atividades normais (por exemplo, trabalho).

Na rinite alérgica perene (o ano todo), os sintomas predominantes incluem gotejamento pós-nasal, congestão nasal persistente e dificuldade para dormir.

Tratamento de rinite alérgica

O tratamento da rinite alérgica inclui a redução da exposição a alérgenos e outros fatores desencadeantes, e o uso de medicamentos, como sprays nasais e comprimidos. Os sprays nasais de glicocorticóides são o tratamento de primeira linha para os sintomas da rinite alérgica, apresentando poucos efeitos colaterais e aliviando os sintomas na maioria das pessoas. Comprimidos de anti-histamínicos (anti-alérgicos) aliviam a coceira, os espirros e a rinorreia (secreção nasal), sendo utilizados em associação ao spray nasal no início do tratamento para maior alívio dos sintomas. A irrigação nasal com solução fisiológica também é indicada, sendo útil para o tratamento do gotejamento pós-nasal, espirros, secura nasal e congestão.

Rinite alérgica na gravidez

Mulheres com rinite alérgica antes da gravidez podem notar piora, melhora ou nenhuma mudança em seus sintomas durante a gravidez. A maioria das mulheres nota alguma congestão nasal nos estágios finais da gravidez, mesmo que não tenham tido rinite antes. Isso é chamado de “rinite da gravidez” e está relacionado aos níveis de hormônios no corpo, não a alergias. A rinite da gravidez não responde aos medicamentos e desaparece após o parto.

Rinite alérgica e doenças pulmonares

A rinite alérgica pode causar a piora dos sintomas de doenças como a asma, doença pulmonar obstrutiva crônica (“enfisema”) e outras pneumopatias, sendo umas das causas de sintomas respiratórios persistentes nestes pacientes. Diagnosticar e tratar a rinite alérgica é, portanto, fundamental para a melhoria dos sintomas respiratórios em pacientes portadores de doenças pulmonares.

Independentemente de quais sintomas a pessoa apresente, a avaliação médica é importante para a realização do diagnóstico correto e prescrição do tratamento adequado para cada paciente.

Alessandra H. D. Fleig Pneumologista CRM 29876

Alessandra H. D. Fleig
Pneumologista
CRM 29876

Deixar uma resposta