Mundo Afora

MUNDO AFORA – Nova York: A cidade que nunca dorme

Central ParkCentral Park
Brooklyn BridgeBrooklyn Bridge
59views

Christian Morgental Falkembach é formado em Administração de Empresas pela UFSM, estudou Finanças na Fundação Getúlio Vargas, em Porto Alegre e possui Mestrado em Marketing pela Universidade do Porto, em Portugal.

Conhecer Nova York foi muito especial, pois Christian sempre viajou sozinho em função dos estudos e, dessa vez, conseguiu reunir a família e dividir todas as experiências e aprendizados que uma viagem proporciona.

O Administrador de Empresas já conhece cerca de 10 países entre América latina, Europa e América do norte. Agora, com a chegada do seu filho Benício, já está roteirizando novos destinos para visitar com ele.

Central Park
Central Park

UM CENÁRIO DE CINEMA

Nova York é uma cidade icônica. De tanto ser retratada no cinema, literatura e nos noticiários é um lugar que habita em nosso imaginário coletivo. Talvez Nova York se pareça mesmo com um grande cenário. Não por acaso, pois é uma cidade que está entre os principais centros comerciais, financeiros e culturais do mundo possibilitando todas as experiências possíveis, conta Christian.

O que é absolutamente emblemático e simbólico em Nova York é o horizonte da cidade repleto de arranha-céus, como o Empire State Building ou Chrysler Building. Também fiquei impressionado com o tamanho monumental da Grand Central Terminal, com cem mil pessoas circulando além das luzes de neon da Times Square. São lugares que revelam toda a efervescência de uma cidade que, como Sinatra cantou, “nunca dorme”. Por isso, neste sentido, Nova York é singular com uma atmosfera vibrante que contagia quem visita.

HISTÓRIA E PARTICULARIDADES

Tenho dois episódios muito marcantes envolvendo a neve. O primeiro foi o deslumbramento em visitar o Central Park coberto de branco, de fato é a prova que a natureza sabe dar um espetáculo mesmo sem cores. É um branco colossal, imponente. Foi muito legal ver as crianças fazendo bonecos de neve e brincando de trenó, além das pistas dentro do parque que as pessoas usam para patinar.

A outra lembrança é um pouco mais tensa. As autoridades alertaram sobre uma forte nevasca que em apenas poucas horas atingiria a cidade. Voos foram cancelados e até a circulação de carros foi restringida. Lembro que no final da tarde o prefeito de Nova York decretou que quem estivesse na rua a partir das 23h seria preso e, portanto, até a segunda ordem ninguém poderia sair de casa ou do hotel.

Nevasca na Times Square
Nevasca na Times Square

Recebemos a orientação de que, se ainda houvesse tempo, teríamos que ir ao supermercado e à farmácia para comprar mantimentos. Foi uma noite inquietante. O que nunca vou esquecer é que no dia seguinte por volta das 9h sai do hotel e caminhei pela Times Square e eu estava absolutamente sozinho. Eu, a cidade e a neve. Naquele momento tive realmente a impressão de estar em um cenário de um filme de ficção.

PONTOS TURÍSTICOS

São muitos lugares para visitar, mas existem aquelas atrações que são indispensáveis e que, na minha opinião, deveriam constar no roteiro. Por exemplo, visitar a Estátua da Liberdade. Me parece injustificável visitar Nova York e não conhecer a dama da liberdade. Seria como ir a Paris e não visitar a Torre Eiffel. Também acho imperdível subir no observatório Rockefeller Center, porque se existe um lugar do mundo para ser visto de cima, esse lugar é Manhattan!

Rockfeller Center
Rockfeller Center

Outro passeio muito legal é atravessar a Brooklyn Bridge, que é um dos símbolos de Nova York e é a garantia de fotos fantásticas. Já outra experiência muito marcante é visitar o Memorial e o Museu 11 de setembro, no local onde estavam as torres gêmeas do World Trade Center, além, é claro, dos museus Metropolitan Museum of Art, Guggenheim Museum e MoMA, que disponibilizam exposições fixas e itinerantes dos principais artistas mundiais. São muitas atrações para se conhecer e o ideal é ter um roteiro por dia ajustado ao interesse de cada pessoa. Mas, uma dica pessoal que eu deixo é se programar para assistir um musical da Broadway, vale muito a pena e é uma aula de qualidade e profissionalismo artístico.

GASTRONOMIA

Entre as comidas típicas eu destacaria o bagel e os cronuts, que a gente come no café da manhã e que são ofertados em vários sabores. Outro prato que vale a pena experimentar em Nova York e que também é uma receita tradicional de café da manhã é o Eggs Benedict (ovos beneditos). Na realidade, Nova York tem vários pratos bem característicos, mas o fato é que a maioria deles também é bem popular no mundo todo, como pizzas, cheesecake, pastrami e, claro, cachorro-quente e hambúrguer.

O que muda é o seu preparo, que possui as suas particularidades. Para quem for visitar, eu sugiro o hambúrguer do Shake Shack, que hoje é uma cadeia grande, mas que começou como um carrinho de cachorro-quente no Madison Square Park, em 2001 ou então o tradicional restaurante italiano Carmine’s para matar a fome, localizado ao lado da Times Square.

Times Square
Times Square

Deixar uma resposta