Mundo Afora

Mundo Afora – Peru: Machu Picchu

Victon Hein Souza e Emiriê B HeinVicton Hein Souza e Emiriê B Hein
Salinas de marasSalinas de maras
OllantaytamboOllantaytambo
OllantaytamboOllantaytambo
Laguna HumantayLaguna Humantay
WaynapicchuWaynapicchu
nativa
73views

A fotógrafa Emiriê B Hein e o sobrinho Victon Hein Souza, Assessor Jurídico do MPF, sempre tiveram o costume de viajar juntos e já foram para Argentina, Punta Cana, Nova York e outras cidades americanas. Eles contam um pouco sobre a viagem que fizeram para o Peru, um país imperdível.

Resolvemos dividir essa viagem com vocês porque foi um lugar mágico que nos causou transformações internas valiosas, um lugar que vale a pena, explica Emiriê.

A escolha pelo Peru foi feita pois queríamos mais aventuras, trilhas e uma imersão naquela energia que já fomos sabendo que seria diferente.

Escolhemos um hotel bem localizado, pegamos o Abittare, que fica no Centro histórico e por ali mesmo, a pé, tivemos a oportunidade de conhecer e interagir de forma intensa com o povoado local, sendo muito valiosa essa troca. É um povo muito educado e receptivo, fomos bem acolhidos e orientados.

O Peru nos proporcionou momentos inesquecíveis que nunca iremos esquecer, é o que sentimos chegando no Vale Sagrado e em Machu Picchu. Uma dica importante é chegar cedo nos locais. Em Águas Calientes você pode pegar o ônibus para subir para Machu Picchu e assim poder passear bastante por lá e até subir a montanha, como fizemos.

Outra dica valiosa é posar uma noite em Águas Calientes e chegar nela pela trilha de 12km no meio daquele lugar mágico.

Nossa viagem durou uma semana e todos os dias tínhamos atividades intensas, as altas altitudes exigem bastante da gente.

Lugares imperdíveis, o Vale Sagrado, Machu Picchu, as montanhas coloridas e a trilha que nos leva ao lago Humantay, que pode ser feita a cavalo.

Melhor época para ir ao Peru é na época de poucas chuvas, de maio a outubro, mas escolhemos dezembro e tivemos sorte.

O Machu Picchu também é chamado de “Cidade Perdida dos Incas” e fica localizado na Cordilheira dos Andes, no topo de uma montanha a 2430 metros acima do nível do mar, no topo de uma grande montanha com abismos que chegam a 400m e possui uma área de um quilômetro quadrado.

Um local enigmático

Em 1983, foi declarado pela Unesco como Patrimônio Cultural da Humanidade e em 2007, foi eleito uma das Sete Maravilhas do Mundo Moderno. É o local mais visitado do Peru e um dos mais visitados na América Latina.

Vinicunca
Vinicunca

Durante quatro séculos ficou escondida na selva, conhecida apenas pelos moradores locais, que sabiam da existência de uma cidade em ruínas. Era considerado um local sagrado pelos Incas, principalmente por unir os Andes ao poderoso Rio Amazonas (Rio Urubamba). A surpreendente perfeição das construções com pedras encaixadas milimetricamente, sem nenhum tipo de material que pudesse uni-las, desperta diversas teorias.

Hipóteses, conjecturas, mitos e mistérios a parte, a real atratividade de se conhecer este Patrimônio Cultural da Humanidade é poder caminhar por suas vielas, visitar seu relógio solar, ter uma bela vista das montanhas que a cercam do alto de suas torres de observação e sentir na pele como a mistura de todos estes elementos tornam, talvez, Machu Picchu o lugar cultural de maior magnetismo no mundo!

Deixar uma resposta