Mundo Afora

Mundo Afora: New York

Times Square
Manhattan
Rockefeller Center
Brooklyn
Brooklyn
Central Park
92views

Graduada em Educação Física, Professora de Dança, Coreógrafa e Guia de Turismo, Isabel Da Rosa, sempre teve o sonho de viver trilhando o mundo sem destino certo, descobrindo e vivenciando novas culturas. Já tem carimbado 42 países em seu passaporte, com vivencias intensas e extraordinárias. Em 2018 decidiu largar a sua escola de dança Passo a Passo, que completava 25 anos de sucesso, para viver uma experiência sabática. Vendeu o que podia, doou o que era útil, guardou o que apreciava e partiu com uma mochila e o desejo de aprender mais sobre a vida e desafiar limites.

“Muitos me chamaram de louca, outros de corajosa e os melhores amigos me apoiaram. Me inscrevi em um site de voluntariado, o Worldpackers, e saí em direção aos Estados Unidos em Kissimmee na Florida para realizar um trabalho em uma ONG. Foi uma experiência fantástica. Depois segui para New York onde ia passar 15 dias antes do próximo voluntariado que seria em Marbella, na Espanha. Mas, como já era de se esperar, mudei de ideia e acabei ficando um ano em NY”, conta Isabel.

A coreógrafa então criou um programa de atividade física e cultural para crianças e, nos fins de semana, atuava como guia recebendo turistas brasileiros. “Eu amo trabalhar com crianças, então, mergulhei no universo infantil através das diversas escolas que frequentei. Em NY há infinitos lugares de estímulo motor, visual e artístico desde bebês, a partir disso, incluí no programa aulas de música, dança, ginastica, culinária, galerias e escola de artes, atividade ao ar livre nos parques, biblioteca infantil, natação e muito mais, o qual me trouxe um vasto aprendizado na área de psicomotricidade e proporcionou-me explorar a cidade e conhecer o dia a dia “Nyorquino” em vários aspectos…. Foi sensacional”, relembra.

“Como a cidade recebe pessoas do mundo inteiro, e nós brasileiros, somos abertos e receptivos com as pessoas, isso me agregou muitas amizades de nacionalidades estrangeiras, o que me foi muito enriquecedor para a prática e aperfeiçoamento do inglês e espanhol. Em NY você encontra as mais diferentes e exóticas atividades e pessoas espalhadas pela cidade realizando coisas inusitadas a todo momento. É um banho de diversidade cultural”, conta a educadora.

Durante a semana, nas horas vagas, Isabel explorava distintos bairros, onde há muita arte, bares com música ao vivo, pois ela ama jazz e blues, além de restaurantes, feiras, museus, teatros, shoppings, shows ou simplesmente caminhava pelas longas vias de Manhattan observando a arquitetura e a pluralidade do contexto. “Impossível não se render as compras! Tem muita atração gratuita em NY e, entre os melhores concertos que assisti, me emocionei com a banda QUEEN com 3 integrantes da formação original tocando no Central Park. Sensacional!”, relembra.

“Porém, meus fins de semana livres eram sempre uma aventura, eu pegava um trem e ia visitar as cidades e vilarejos próximos onde é possível desfrutar de uma noite num barco por U$50,00 em Mamaroneck. Você pode fazer uma subida nas montanhas de Peeskskill e observar o Hudson Valey ou ir à Woodstock curtir um rock, acampar em Cape May em New Jersey, visitar amigos enfim…Posso afirmar que não tive rotina, mas sim, muita intensidade”, completa.

Nem tudo são flores, pois Nova York é uma das cidades mais caras do mundo e o custo de vida depende do lugar onde você mora. “Existem cinco distritos, Manhattan, Queens, Brooklyn, Staten Island, e The Bronx. O preferido e mais badalado e também mais caro é Manhattan onde o custo médio de aluguel em quarto privado é no mínimo U$ 1.200,00 por pessoa. Acrescente nisso, a alimentação, transporte, lazer e o custo dobra e, não queira ficar doente em NY porque se você não tem um plano de saúde prepare o bolso porque é salgado, sem falar que nem remédio você compra sem receita a não ser antigripal, antialérgico, vitaminas e alguns mais.

Porém, o governo disponibiliza um plano de assistência gratuita, o Charity care para as pessoas de baixa renda que ganham até U$25.000,00/ano. Muitas pessoas que migram para trabalhar e estudar lá, optam por bairros mais baratos próximos da ilha podendo pagar entre 30 e 50% menos que em Manhattan.

Aí está a vantagem do voluntariado que te dá hospedagem e alimentação em qualquer lugar e você pode fazer um extra nas horas livres faturando em dólar, nos chamados Part time. Eu fiz divulgação de eventos e entregava flores, me diverti muito com isso”, relata.

“Viver em NY me permitiu apreciar cada estação do ano com suas cores e sabores distintos e as diferentes comemorações na cidade onde tudo se transforma em grandes decorações sobre o tema. Um exemplo disso é o Halloween (Dia das bruxas), talvez a festa mais apreciada pelos americanos onde eles passam um mês usando fantasias aterrorizantes por toda parte, é comum entrar no metrô e sentar ao lado de um Zumbi, tem também o Thanksgiving (Dia de Ação de graças) onde as famílias se reúnem com os amigos para um momento de agradecimento muito acolhedor.

E mágico e encantador é passear pela cidade em época de Natal, Christmas Time, principalmente quando a neve cai e as músicas natalinas soam por todos lados, é lindo demais. Participei também, das comemorações de 4 de julho (Independence day) onde se vê o amor e orgulho do americano pela sua pátria e o respeito por sua bandeira, eles chegam ser fanáticos na questão patriotismo.

Mas a celebração que mais me tocou foi a de 11 de setembro, como meu apartamento era em frente ao Memorial, pude acompanhar durante todo o dia as homenagens dos familiares aos seus entes queridos que morreram na queda das torres gêmeas.

Milhares de rosas e bandeiras são colocadas no entalhe dos nomes das vítimas com a triste cena de ver pessoas chorando no silêncio de uma oração, realmente isso me tocou muito e me fez refletir sobre a ganância e o ódio que levam a um ato de terror dessa magnitude. Mas morar em NY tem muita praticidade, as coisas são menos burocráticas, o transporte público é de fácil acesso e a cidade é muito segura”, conta.

“Meu ano sabático em New York foi uma experiência única, cheia de aprendizado, trabalhando principalmente, a calma, a determinação, respeito e a tolerância. Acho que todo mundo deveria se oportunizar com um tempo para si e experimentar mais o Viver do que o Ter”, finaliza Isabel, que em breve partirá para uma nova aventura.

Deixar uma resposta