EntrevistasMulheres que fazem

Unindo boa saúde e qualidade de vida, na busca do equilíbrio hormonal

132views

Dra. Júlia Mottecy Piovezan, natural de Santa Maria, casada com Felipe Lins Alves, confessa que os estudos nunca param, são 12 anos de formação e atuação na área da saúde.  Graduada no curso superior da Faculdade de medicina pela Universidade Federal de Santa Maria, possui 2 anos de Residência de clínica médica no Hospital da Universidade Federal de Santa Maria, 2 anos Residência em Endocrinologia no Hospital da Universidade Federal de Juiz de Fora – MG, tem Mestrado em ciências da saúde UFSM, Pós graduação em Nutrologia pela USP – Ribeirão Preto e destaca 2019 como um ano especial em sua vida profissional, pois, foi selecionada para apresentar seu trabalho de mestrado em um dos principais congressos mundiais, o ENDO – evento da Sociedade Americana de Endocrinologia, em New Orleans nos EUA. Também em 2019, estagiou na USP, no setor de atendimento à obesidade, juntamente com os profissionais mais renomados da endocrinologia do Brasil.

Como você define a Dra. Júlia?

Meu crescimento pessoal e profissional andam lado a lado. Não consigo diferenciar.  A dedicação, carinho e atenção que tenho com minha família e amigos são os mesmos com que trabalho, estudo e atendo os pacientes.

Ter a mãe médica influenciou na tua escolha por medicina?

De forma indireta, acredito que sim. Porém em nenhum momento minha mãe insistiu para que eu seguisse a mesma profissão. 

O que te motivou escolher a especialidade de endocrinologia?

Ainda durante a faculdade, ao perceber que os hormônios conectavam o corpo todo, me encantei com a endocrinologia nas aulas com o professor Dr Luiz Alberto Pereira. 

O que é, e o que trata a endocrinologia? Quais as doenças?

É a especialidade que estuda o funcionamento das glândulas e dos hormônios. Não envolve apenas doenças. 

Alterações hormonais femininas e masculinas que normalmente acontecem nos diversos períodos de vida, muitas vezes comprometem a qualidade de vida e pode ser manejada pelo endocrinologista.

Doenças como obesidade e sobrepeso, diabetes, problemas de tireoide, osteoporose, alterações das glândulas adrenal, hipófise e paratireoides também são tratadas por essa especialidade.

Como identificar os principais sintomas da diabetes?

Diabetes é uma doença silenciosa. Os sintomas surgem quando a glicose já está muito alta. Entre eles, sede exagerada, urinar em excesso, perda de peso não intencional.

O ideal é prevenir, e investigar junto ao endocrinologista, principalmente se houverem fatores de risco associados. 

Alguns fatores de risco são histórico familiar, obesidade e histórico de diabetes durante a gestação.

Como diagnosticar os fatores que geram obesidade e os riscos para saúde?

Importante ressaltar que a obesidade é uma doença. E deve ser tratada.

Ela aumenta o risco de outras mais de 200 doenças.

Ela é multifatorial. Alguns fatores não são modificáveis como a genética.

Entre os modificáveis, e que então podemos gerenciar são sedentarismo e má qualidade do sono, excesso do consumo de alimentos ultra processados e açucarados, uso de certos medicamentos, problemas hormonais.

O que é a menopausa e o que muda na vida da mulher com a chegada da mesma?

Menopausa é nome da última menstruação. 

O período ao redor da menopausa é o climatério. Nele há flutuações hormonais, que podem levar a sintomas como calorões, insônia, ressecamento vaginal, redução da libido, etc.

Algumas mulheres tem mais sintomas que outras, com níveis diferentes do comprometimento da qualidade de vida.

Muitas pessoas confundem a atuação do endócrino com a nutricionista. Qual a diferença?

Essa dúvida é muito comum. O nutricionista estuda os alimentos e os efeitos que eles produzem no nosso corpo. Já o endocrinologista, as alterações metabólicas e distúrbios do excesso ou deficiência hormonal.

São profissões complementares, é o trabalho conjunto das duas especialidades que proporciona resultados melhores ao paciente.

Qual a função dos hormônios?

Os hormônios são mensageiros que coordenam as atividades de todo nosso corpo. Entre suas funções estão o crescimento, desenvolvimento das características sexuais e fertilidade, controle da glicose, regulação de fome e saciedade.

Que tipo de exames devemos fazer para saber como andam os hormônios?

Não obrigatoriamente devemos fazer exames.

Eles devem ser realizados apenas se necessário, após avaliação médica.

Exames em excesso e desnecessários podem levar a diagnósticos equivocados.

Por isso a importância do profissional ser capacitado para realizar as solicitações de exames.

Quando a mulher deve fazer exames de hormônios femininos?

O que define a necessidade de realização de exames é a avaliação do endocrinologista. Ao unir dados da história da paciente, sintomas, queixas e ao exame físico realizado que determinam se precisa ou não fazer exames.

Que tipo de doença é mais frequente nos seus atendimentos?

Os principais motivos que faz com que me procurem são sintomas relacionados à saúde feminina, como síndrome dos ovários policísticos, climatério e menopausa além do tratamento da obesidade.

O que fazer para manter o metabolismo funcionando sem grandes alterações?

É menos complexo do que se imagina. Alimentação majoritária de alimentos não ou minimamente processados, sono de boa qualidade e realização de exercícios físicos.

Há muita resistência nas mudanças de hábitos dos pacientes quanto a alimentação e introdução de atividade física? 

A resistência depende de cada paciente. Percebo que são níveis de maturidade diferentes que deve ser identificado pelo médico adequadamente, para auxiliar e não afastar o paciente do tratamento.

Como você motiva seus pacientes a manter a rotina de novos hábitos alimentares?

Construo junto com os pacientes.

Não existe maneira única.

Converso bastante, procuro entender sobre a pessoa, a rotina, os objetivos, os sentimentos envolvidos.

Neste mês da mulher que mensagem você deixa a elas?

Não aceite como normal do envelhecer o surgimento de sintomas e a piora da qualidade de vida.

Priorize sua saúde física e mental.

Fuja dos modismos e cuidado com as informações da internet.

Ao procurar algum profissional para te orientar e ajudar, certifique-se que a prioridade será sua segurança além do tratamento.

E conte comigo para isso se precisar!

Deixar uma resposta